quarta-feira, 30 de novembro de 2016

TUBARÕES MARGARIDA E SHARON SÃO DESTAQUES NO AQUARIO......

 
 
 
No último dia 18 de outubro o Aquário de Ubatuba realizou em parceria com o Aquário Marinho do Rio de Janeiro – AquaRio, uma megaoperação técnica de transferência de 3 tubarões para a cidade maravilhosa.
 
 
 
 
 Todo o processo demandou muita pesquisa e dedicação, pois foi necessária a construção de um tubo de coleta, crucial para o sucesso da operação. O projeto do artefato foi desenvolvido pelo Oceanógrafo Hugo Gallo, diretor do Aquário de Ubatuba. E construído pela equipe técnica do próprio Aquário, por ele supervisionada.
O transporte de animais marinhos sempre é uma operação de extrema complexidade, pois envolve diversos indicadores e parâmetros de segurança. Ver tubarões imponentes, transitando tranquilamente no tanque de um aquário é lindo e encantador, mas você nunca parou para pensar como é que eles chegam até ali, e como é possível dar comida na boca de um animal desse porte
O transporte de um tubarão mangona da espécie (Carcharias taurus), a Margarida de 2 metros de comprimento, um tubarão-lambaru da espécie (Ginglymostoma cirratum), a Sharon com 2,5 metros e tubarão-bambu (Chiloscyllium punctatum), chamado pela equipe de Tuba, contou com o comprometimento de uma equipe de mais de 20 profissionais multidisciplinares entre biólogos, oceanógrafos, veterinários e corpo técnico. Cada um desempenhando papeis fundamentais para garantir uma viagem confortável e a chegada dos animais com vida ao destino.
Essa empreitada teve também a participação do biólogo português João Correia, ex-técnico do Aquário Oceanário de Lisboa e atualmente proprietário da empresa Flying Sharks, especializada no transporte destes animais pelo mundo, bem como do biólogo Marcelo Spilman, Presidente do Aquário do Rio de Janeiro.
Essa operação é decorrente de um convênio firmado entre as duas instituições que além do empréstimo dos animais feito pelo Aquário de Ubatuba ao AquaRio, visa à melhoria do circuito de visitação e benfeitorias para ambos os estabelecimentos.
Margarida e Sharon já são consideradas as principais atrações do aquário carioca e o que têm chamado à atenção é o método de alimentação manual, ou seja, na boca, feita pelos tratadores às duas tubarões-fêmeas. Isso só é possível, pois desde filhotes os animais foram condicionados pela equipe do Aquário de Ubatuba a uma convivência mais próxima aos responsáveis por sua alimentação visando à melhoria do manejo. “Quando temos que dar uma vitamina ou um remédio para um tubarão visando sua saúde, temos que ter certeza de que ele a ingeriu. Colocamos as cápsulas dentro de um peixe para ser usado como alimento, mas se simplesmente o jogássemos dentro do tanque não saberíamos quem o comeu. Outro fato importante deste tipo de estratégia de condicionamento e manejo é que podemos controlar a quantidade e qualidade do alimento, bem como desmistificamos perante nosso público, a imagem de assassinos que infelizmente os tubarões adquiriram para o homem.” completa Hugo Gallo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário