quarta-feira, 30 de novembro de 2016

OS TRABALHADORES ARTESANAIS DO MAR EM UBATUBA........



Foto ilustrativa , do arquivo do Blog Coisas de Caiçara de José Ronaldo, não faz parte da matéria  abaixo compartilhada do site  www.diariodetaubate.com.br



Os Trabalhadores Artesanais do Mar em Ubatuba-SP é tema de mestrado na Unesp
A aluna, Larissa Tavares Moreno, da Unesp de Presidente Prudente, apresenta no próximo dia 9, às 14 h, no Anfiteatro II da sua universidade, a sua dissertação de mestrado 'Os Trabalhadores Artesanais do Mar em Ubatuba/SP: a dinâmica territorial do conflito e da resistência'.

 


O estudo geográfico tem como fulcro central a compreensão da trama de usos, disputas, conflitos e resistências que envolvem os pescadores e as pescadoras artesanais de Ubatuba.
Haja vista que, diante do processo de produção e reprodução do capital esses(as) trabalhadores(as) artesanais do mar tem passado por transformações do seu processo de trabalho e também em seus espaços/territórios.
Aliás, desde os tempos remotos no Brasil, a pesca artesanal é um setor pouco incentivado no que tange às condições de trabalho, acesso a créditos e incentivos produtivos, baixa escolaridade e políticas específicas.
O que desestimula significativamente a atividade pesqueira artesanal, que somado a outros entraves e conflitos acarreta um conjunto de fatores prejudiciais à perpetuação dessa atividade laboral tradicional.





Decorrente disso, analisamos os processos ligados à vida e ao trabalho desses(as) pescadores(as), de maneira a verificar as mudanças técnicas, ambientais e mercadológicas produzidas pelo capital, em consonância com o Estado brasileiro e que rebatem sobre a identificação do ser pescador e pescadora.
Sendo assim necessário refletir sobre a gestão e as políticas desenvolvidas pelo Estado e como se encontra a realidade da pesca, ou seja, do setor pesqueiro no Brasil.
Mencionando ainda as resistências e alternativas emanadas pelos(as) trabalhadores(as) artesanais do mar, que cotidianamente lutam e enfrentam os conflitos e disputas, a fim de assegurar o seu direito ao trabalho, modo de vida e território.
Orientador e Membros da Banca: Prof. Dr. Marcelo Dornelis Carvalhal (orientador); Prof. Dr. Antonio Thomaz Júnior (FCT/Unesp); Prof. Dr. Eduardo Schiavone Cardoso (UFSM)

Fonte  ............Diariode Taubaté

Nenhum comentário:

Postar um comentário