sexta-feira, 7 de outubro de 2016

FILIPE TOLEDO ELIMINA ALEX RIBEIRO NA REPESCAGEM E AVANÇA NA ETAPA DE HOSSSEGOR



Depois de perder para o australiano Davey Cathels na estreia, Filipe Toledo recuperou os trilhos em grande estilo na etapa de Hossegor, na França. Com um surfe progressivo e poderoso, o paulista de Ubatuba apostou nas direitas e usou manobras fortes e verticais para deixar Alex Ribeiro em combinação e vencer por 15.67 a 7.60 pela segunda fase.





Com a vitória, ele avançou à terceira fase de forma contundente e se juntou a Gabriel Medina, Adriano de Souza, Caio Ibelli, Miguel Pupo e Italo Ferreira. Sete dos 10 representantes do Brazilian Storm seguem na briga pela coroa no conhecido beach break francês, palco da nona de 11 paradas do Circuito Mundial em 2016. Na repescagem, nesta sexta-feira, Alejo Muniz virou sobre Michel Bourez com uma onda salvadora no último minuto e também se classificou. Wiggolly Dantas e Jadson André lutaram pela sobrevivência no mata-mata, mas foram eliminados e deram adeus em 25º lugar

- Este ano estava um pouco menor, mas perfeito. Eu estava super nervoso. Depois do 8.67, senti que tudo estava dando certo. Tem tantas coisas acontecendo... Estou muito feliz por passar a bateria. Vou ser pai agora, pode nascer a qualquer momento e eu estou bem animado. Tenho me mantido relaxado, confortável e rezando bastante. As coisas que aconteceram só me deixaram mais forte - contou Filipinho em uma entrevista à Liga Mundial de Surfe (WSL).
Dos 10 representantes do Brasil, cinco venceram na estreia e avançaram diretamente à terceira fase. Defensor do título e bicampeão nas ondas de Hossegor, Gabriel Medina comandou as vitórias, ao lado do atual campeão mundial Mineirinho. O local de Maresias pode assumir a liderança do ranking na etapa, dependendo dos resultados. Líder, o havaiano John John Florence é o único que depende apenas de si mesmo para se manter na ponta, basta ser campeão, vice ou terminar em terceiro lugar na costa de Landes. As chances de Matt Wilkinson voltar ao topo são remotas, porém, possíveis matematicamente. Eliminado por Ryan Callinan na segunda fase, Jordy Smith deu adeus às esperanças de ser número um na França.
Filipe Toledo domina Alex Ribeiro
Filipe Toledo fez das ondas de Hossegor o seu playground, seja transformando as paredes de água em rampas de decolagem ou usando-as para aplicar manobras grandes e fortes. O paulista de Ubatuba colocou fogo na disputa logo no início e manteve um bom ritmo. Depois de um 3.50 com um aéreo quase conservador para os seus parâmetros, Filipinho apostou em um surfe de borda de muita técnica, com três manobras verticais. Ganhou nota 8.67 e ampliou para 12.44. Alex Ribeiro tentou responder com um aéreo altíssimo e que lhe renderia uma nota alta, porém, falhou na aterrissagem e levou só 5.50. Com 6.67, o paulista da Praia Grande precisava de 6.95 para virar, mas sabia que a missão era complicada. 
Filipe Toledo surfou tubo e apostou em manobras fortes e verticais para passar pela repescagem em Hossegor na França (Foto: Reprodução/Twitter WSL)Filipe Toledo apostou em manobras fortes e verticais para passar pela repescagem (Foto: Reprodução/Twitter WSL)
As condições estavam perfeitas para Toledo, que ia apenas administrando o placar, investindo nas direitas com confiança. Com muita velocidade, ele dominou a espuma, encaixou outro leque de manobras e levou 7.00. Alcançou o somatório de 15.67 e deixou Alex em combinação (15.68). Pressionado em sua temporada de estreia e precisando de um bom resultado na França na tentativa de se manter na elite, o surfista da Praia Grande não conseguiu mais se encontrar. Em 30º do ranking, Alex vinha de um bom resultado com o quinto lugar em Trestles, nos Estados Unidos, mas o 13º no Taiti e as seis vezes em que terminou em último, sem vencer uma bateria sequer, o prejudicaram. Só os atletas que ocupam o top 22 se mantém na elite no próximo ano.
+ Para recuperar a liderança do ranking na França, Wilko treina boxe e natação
+ Do topo à degola, surfistas têm missões distintas na reta final do Tour

+ Após viagem romântica por Itália e Grécia, Mineirinho mira título na França

+ De volta à França após grave lesão, Alejo aposta em bi mundial de Medina

Alejo Muniz reage no fim
Há um ano, Alejo Muniz saiu da praia em Hossegor carregado, após se machucar em uma vaca. A lesão no ligamento colateral do joelho esquerdo o levou a realizar uma cirurgia e o deixou fora de combate por cinco meses. Mesmo depois do retorno, ele ainda sentia dores, mas nunca esmoreceu e voltou firme para a elite. Em 29º do ranking na reta final, o argentino de Mar del Plata, criado em Bombinhas (SC), batalhou até o fim diante de Michel Bourez na repescagem. O taitiano tinha a liderança, com 11.33, mas o brasileiro encontrou uma onda salvadora no último minuto. Com um 6.00, Muniz chegou a 11.50 e levou a melhor na acirrada disputa.
O Brasil escreveu capítulos memoráveis de sua história na França. Foram sete vitórias e cinco vices em um dos mais poderosos beach breaks do mundo - ondas que quebram sobre um fundo de areia, assim como na maioria das praias brasileiras. O retrospecto e a semelhança são trunfos do Storm. Depois da etapa de Hossegor, restam apenas duas paradas no Tour: Peniche, em Portugal, de 18 a 29 de outubro, e o Pipeline Masters, no Havaí, de 8 a 20 de dezembro.  
Alejo Muniz eliminou Michel Bourez com uma onda salvadora a um minuto do fim em Hossegor, na França (Foto: Reprodução/Twitter WSL)Alejo Muniz eliminou Michel Bourez com uma onda salvadora a um minuto do fim (Foto: Reprodução/Twitter WSL)

01
confira as baterias da 2ª fase (repescagem)
1: Matt Wilkinson (AUS) 14.56 x Joan Duru (FRA) 14.33
2:
Jordy Smith (AFS) 11.83 x Ryan Callinan (AUS) 12.26
3: Kelly Slater (EUA) 10.16 x Leonardo Fioravanti (ITA) 13.26
4: Joel Parkinson (AUS) 10.74 x Matt Banting (AUS) 11.50
5: Julian Wilson (AUS) 13.27 x Jeremy Flores (FRA) 9.43
6:
Filipe Toledo (BRA) 15.67 x 7.60 Alex Ribeiro (BRA)
7:
Michel Bourez (TAH) 11.33 x 11.50 Alejo Muniz (BRA)
8: Josh Kerr (AUS) 9.30 x Jack Freestone (AUS) 12.36
9: Sebastian Zietz (HAV) 12.60 x Adam Melling (AUS) 11.34
10: Wiggolly Dantas (BRA) 12.60 x
Conner Coffin (EUA) 16.33
11: Stuart Kennedy (AUS) 11.66 x Dusty Payne (HAV) 10.50
12:
Kanoa Igarashi (EUA) 12.43 x Jadson André (BRA) 9.67
01
baterias da 3ª fase
1: Adrian Buchan (AUS) x Keanu Asing (HAV)
2:
Adriano de Souza (BRA) x Conner Coffin (EUA)
3:
Italo Ferreira (BRA) x Matt Banting (AUS)
4:
Filipe Toledo (BRA) x Davey Cathels (AUS)
5:
Stuart Kennedy (AUS) x Nat Young (EUA)
6:
John John Florence (HAV) x Ryan Callinan (AUS)
7:
Gabriel Medina (BRA) x Leonardo Fioravanti (ITA)
8:
Caio Ibelli (BRA) x Kanoa Igarashi (EUA)
9:
Kolohe Andino (EUA) x Jack Freestone (AUS)
10:
Julian Wilson (AUS) x Alejo Muniz (BRA)
11: Sebastian Zietz (HAV) x Miguel Pupo (BRA)
12: Matt Wilkinson (AUS) x Kai Otton (AUS)


FONTE...............http://globoesporte.globo.com/radicais/surfe/mundial-de-surfe/noticia/2016/10/filipe-toledo-derrota-alex-ribeiro-na-repescagem-e-avanca-em-hossegor.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário